segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Precisamos de Santos

Hoje, dia de todos os Santos, em que a Igreja nos lembra que todos somos chamados à Santidade, deixo-vos um texto de que gosto bastante!

"Precisamos de Santos sem véu ou batina.
Precisamos de Santos de calças de ganga e sapatilhas.
Precisamos de Santos que vão ao cinema,
ouvem música e passeiam com os amigos.

Precisamos de Santos que colocam Deus em
primeiro lugar, mas que também se ‘esforcem’ na faculdade.


Precisamos de Santos que tenham tempo para rezar

e que saibam namorar na pureza
e castidade, ou que se consagrem na sua castidade.


Precisamos de Santos modernos, Santos do século
XXI, com uma espiritualidade inserida no nosso tempo.


Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e
as necessárias mudanças sociais.

Precisamos de Santos que vivam no mundo, se santifiquem
no mundo, que não tenham medo de viver no mundo.


Precisamos de Santos que bebam coca-cola e comam hot-dogs, 
que usem jeans, que sejam internautas, que usem walkman.

Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, 
de música, de dança, de desporto.

Precisamos de Santos que amem apaixonadamente a Eucaristia
 e que não tenham vergonha de tomar um ‘copo’
ou comer uma pizza no fim-de-semana com os amigos.
Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos,
alegres e companheiros.


Precisamos de Santos que estejam no mundo;
e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo,
mas que não sejam mundanos."

Para quem não sabe, este magnífico texto é de alguém muito especial, que escolheu o nome de João Paulo II.

P.S. Faltam contar as aventuras do fim-de-semana, eu sei! Já faltou mais! :P

2 comentários:

Rui Aresta disse...

O mesmo homem que disse um dia: "Jovens, não tenhais medo de ser Santos"!

Simplesmente um dos homens mais brilhantes que passou pela Igreja Católica, mas também um dos nomes que gerou mais consenso a todos os níveis, um dos mais respeitados por todas as religiões e ideologias políticas.

Que pena a sua passagem para junto do Pai ter acontecido antes da JMJ'05 :(

cathy disse...

já conhecia o texto. Brilhante! Afinal, uma forma simples, realista, situado num tempo real e que nos instiga à percepção de que estamos todos convocados.

Saudoso João Paulo II, obrigada!